setrakian-nazismo

Fatos Históricos: The Strain, Abraham Setrakian e o Nazismo


Aproveitando que está semana comemorou-se os 70 anos da libertação do maior campo de exterminío nazista, Auschwitz, resolvemos fazer um post sobre o assunto.

Foi em um dos campos de concentração que, o então jovem, professor Abraham Setrakian conheceu Thomas Eichhorst, à época ainda humano e chefe do campo de concentração, e onde se deu seu primeiro confronto com O Mestre, episódio S01E05 – Runaways.

O campo de concentração em questão é Treblinka e ao contrário do que possa parecer em uma obra de ficção, ele realmente existiu. Guillermo del Toro utiliza-se de fatos históricos para contar a história de The Strain, fatos que iremos desvendando ao decorrer da série, Treblinka é um deles:

Treblinka foi criado pelos nazistas para ser o campo de extermínio perfeito, sem registros e o primeiro a incinerar os cadáveres,  no auge do seu funcionamento os judeus que chegavam ao campo eram mortos nas câmeras de gás apenas duas horas depois.

Em pesquisas na internet e em outras mídias encontrasse muito pouco sobre Treblinka, isso porque quase não houve sobreviventes e Del Toro coloca Setrakian entre eles. As informações divergem muito, alguns dizem que foram 100 outros 90 sobreviventes.

Nós do The Strain Brasil ficamos com o relato de CHIL RAJCHMAN, e recomendamos seu livro “Eu sou o Último Judeu”, um sobrevivente e um dos mentores da revolta que em 2 de agosto de 1943 permitiu que judeus fugissem e, dessa forma, sobrevivessem a Treblinka.

mapa-treblinka
mapa-treblinka

 Treblinka X The Strain

– No episódio S01E02 – The Box, no primeiro encontro entre Eichhorst e Setrakian o alemão chama o professor por um número tatuado em seu braço “2A30385”, esse número supostamente seria o registro que os judeus recebiam ao entrarem nos campos de concentração. Supostamente porque isso não acontecia em Treblinka para que não houvesse registro dos mortos e assim ocultar os crimes cometidos no campo.

– No episódio S01E05 – Runaways, vemos a chegada de Setrakian e sua avó a Treblinka da mesma forma que os relatos históricos. Os judeus chegavam em trens e logo ao descerem eram separados os homens das mulheres e crianças, esses últimos eram encaminhados diretamente para as câmaras de gás. Os homens com alguma profissão ou habilidade eram designados para manter o campo funcionando. Dessa forma, Setrakian afirma ser carpinteiro.

“Os vagões tristes me carregavam para lá. Eles vêm de toda parte: do leste e do oeste, do norte e do sul. De dia e de noite, seja qual for a estação: primavera, verão, outono, inverno. Os comboios chegam lá abarrotados, incessantemente, e Treblilnka prospera mais a cada dia que passa. Quanto mais comboios chegam, mais Treblinka consegue absorvê-los.”

(RAJCHMAN, 2010, p. 27)

 – A revolta relatada no livro de CHIL RAJCHMAN é mostrada no episódio S01E09 – Disappeared e Guillermo del Toro coloca o jovem Setrakian entre os fugitivos e sobreviventes.

Eu Sou o Último Judeu Treblinka (1942-1943) - Capa
Eu Sou o Último Judeu Treblinka (1942-1943) – Capa

Sobre CHIL RAJCHMAN:

Chil Rajchman nasceu em Lodz, na Polônia, em 14 de junho de 1914. Lá morou com o pai, as três irmãs e os dois irmãos até a Segunda Guerra Mundial, tendo sua mãe falecido em 1931. Lodz situava-se na parte oriental da Polônia que fora anexada pela Alemanha e rebatizada de Litzmannstadt. Após a guerra, Rajchman casou-se com Lila, teve três filhos, e em 1946 trocou a Polônia pelo Uruguai, onde morreu em 2004. Foi testemunha em vários processos contra ex-oficiais da SS.

“Eu sou o último judeu: Treblinka (1942-1943)”, obra que busca através do testemunho de um sobrevivente descrever a vida em um campo de extermínio Nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Treblinka consumiu cerca de 750.000 judeus e apenas 57 sobreviveram. Chil Rajchman foi um deles.


Comentar via Facebook

Comentário(S)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *