The Strain Season 4 Episode 6 Review – ‘Tainted Love’

 

O amor ignorado, o amor perdido, o amor desperdiçado e os relacionamentos quebrados definem o episódio seis desse meio de temporada. A corrida de gato e rato se estende  por todo o país com uma feliz sniper em guarda e uma enboscada se mantendo entre a salvação e o desastre na forma de uma fuga do campo de pouso. Misture algum ciúme, falta de comunicação e flashbacks para sustentar mais o backstory e The Strain continua ganhando impulso.

Quinlan mantém o centro das atenções mais uma vez, no presente ou no passado, já que a vida de Londres nos dias de hoje continua a intrigar. O desgosto, a raiva, o desespero e o confronto são uma maneira de descrever essas seguencias no passado, que cortam a tomada de decisão no presente. Fet entretanto se apega a Charlotte, pois seu relacionamento assume outra dimensão, independentemente da opinião de Quinlan. Penry-Jones traz um autocontrole calculado e frio para o personagem, enquanto prova que as escolhas que ele faz são amparadas pela experiência e não pelo instinto guerreiro.

 

 

Em algum lugar em Manhattan, o foco permanece com Zack e Abby, que são aproximados apenas por algumas verdades domésticas que se tornam evidentes. Max Charles faz uma criança petulante com facilidade convincente, já que certas situações eliminam a companhia de Abby. Confuso, equivocado, mas, em última instância, ele pode ser bem intencionado.  Mas seu comportamento caminha da direção de tornar-se  clinicamente frio e calculista. É um meloso e desnecessariamente adolescente na abordagem, mas serve apenas para providenciar aquela epifania importante quando Zack começar a entender suas ações.

Afastado de um mundo tumultuado, sua vida está cheia de privilégio, isolada da realidade que, por sua vez, distorce todo o resto. O que ele aprende além do ponto em que o amor, carinho e companheirismo não são facilmente comprados, é como ele se encaixa neste quebra-cabeça. O que, por sua vez, remete para a voz original dada por Setrakian nos minutos de abertura da temporada, todos esses anos atrás.

 

 

 

Do nosso guerreiro mais perigoso até os corações adolescentes e frágeis, todos são tocados, atormentados e traumatizados pelo amor. O que esse episódio faz é nos lembrar que devemos reconhecê-lo quando as oportunidades se aproximam e não se esconder naqueles momentos em que as coisas se separaram. Em termos de progressão narrativa no entanto, “Tainted Love” faz pouco para movimentar as coisas.

Setrakian e Ducth continuam fora do jogo, Goodweather está se distraindo explodindo Strigois e envenenando bancos de sangue, enquanto os atos seguem em torno de roubar ogivas nucleares, contornando os problemas um pouco mais do que estamos acostumados. Mas, no entanto, foi outro episódio sólido. O que significa que The Strain segue juntando todos esses elementos díspares em rumo ao final.

 

 

Fonte: The Strain Season 4 Episode 6 Review – ‘Tainted Love’

Comentar via Facebook

Comentário(S)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *